Foto: Reprodução

Em 2014, a conta de luz tem grandes chances de sofrer aumento, em especial nas regiões de seca. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou a intenção e argumentou que isso ocorre por causa dos gastos com as termelétricas.

Uma vez que a seca diminuiu drasticamente os níveis de água nas hidrelétricas, para evitar o apagão foi preciso que as termelétricas entrassem em operação. Com o processo é bem mais caro, o governo sofreu um baque com esta situação. Caso a seca permaneça ou qualquer outro motivo que faça as termelétricas voltarem a operar, o gasto seroa dividido entre os estados, o que significa luz mais cara ano que vem.
A medição deverá ser de acordo com o Custo Marginal de Operação (CMO) e do Encargo de Serviço de Sistema por Segurança Energética de cada subsistema das regiões brasileiras. Caso o Operador Nacional do Sistema Elétrico identificar que houve o aumento, as regiões racharão a conta. Enquanto a cor do gasto permanecer em verde, nada mudará. Já em caso de amarelo e vermelho, o reajuste será entre R$ 1,50 e R$ 2 a cada 100kWt consumidos.