Falta de desejo sexual é reclamação de 48,5% das mulheres em SP
Pesquisa realizada pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e pelo Centro de Referência e Especialização em Sexologia (Cresex) apontou que 48,5% das mulheres que procuram atendimento médico por conta de disfunções sexuais se queixam de falta ou diminuição do desejo sexual.
O levantamento analisou 455 pacientes do ambulatório do Hospital Estadual Pérola Byington e concluiu que, das mulheres observadas, apenas 13% tiveram os distúrbios ligados a causas orgânicas, como alterações hormonais ou problemas ligados a outras doenças. Para 18,2% das mulheres observadas, a principal dificuldade era de chegar ao orgasmo.
A dor intensa durante a relação sexual atingiu 9,2% das pacientes e o nível diferente de desejo em relação ao parceiro, 6,9%. Outras mulheres disseram sofrer com vaginismo, espasmos involuntários dos músculos que fecham a vagina, disfunção sexual generalizada e distúrbios de excitação.