A partir desta quinta-feira (1º), as contas de luz virão com uma cobrança extra como consequência do uso da energia das termelétricas, que é mais cara, pelas distribuidoras. A virada de ano marca a entrada em vigor do sistema de bandeiras tarifárias, que trará um custo adicional na tarifa de acordo com a necessidade do consumo dessa energia.

As usinas termelétricas são acionadas quando há alta no consumo e a energia gerada pelas hidrelétricas, mais baratas, não é suficiente para abastecer todo o sistema. Em novembro, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), o aumento do consumo foi de 2,3% em relação ao mesmo mês do ano passado.

No primeiro mês de cobrança, os consumidores receberão suas contas com a bandeira vermelha, o que significa um acréscimo de R$ 3 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Isso vale para os quatro subsistemas do Sistema Interligado Nacional (SIN). Estão excluídos apenas os Estados do Amazonas, Amapá e de Roraima.

Em janeiro, a cobrança será feita proporcionalmente ao dia de fechamento da fatura de cada cliente. Por exemplo, se uma conta de luz tem o fechamento previsto para o dia 10, será cobrado o valor correspondente à bandeira tarifária apenas sobre os 10 dias de janeiro, e os outros 20 dias referentes a dezembro virão com o valor normal.