Termina nesta semana a exposição fotográfica Negra Flor de Lume, do fotógrafo Israel Ferssant. Desde dezembro no Museu de Arte e Ciências de Itapetinga, a exposição atraiu a atenção de muitos visitantes. Em apenas 15 dias, quase 500 pessoas foram ver as fotos de modelos de Itapetinga e Caatiba representando a negritude, a afrodescendência e todas as suas características mais marcantes.

Desde de sua reabertura, em 2017, o Museu vem buscando fazer cultura de forma mais dinâmica e atraente. Os esforços têm dado resultado. No ano passado, entre fevereiro e dezembro, quase 5.000 pessoas passaram pelo ambiente completamente reformado, mais bonito e organizado.

Nesta semana, alunos da Disciplina Metodologia da História, acompanhados pela professora Larissa Clivia, da Uesb, e da rede municipal de ensino foram ao Museu de Itapetinga com os mais diferentes propósitos. Atraíram os visitantes, além do acervo histórico que relata parte da construção da nossa região, a exposição fotográfica que se encerra nesta semana. Moradores de Vitória da Conquista também estiveram apreciando toda arte e cultura ali preservadas.

O Museu de Arte e Ciências de Itapetinga já prepara novas exposições e ações para levar arte e cultura para mais perto da população.

RK