ANa Região Metropolitana a taxa de desocupação ficou em 18,6% no 2º trimestre, praticamente a mesma do 1º trimestre

A taxa de desocupação na Bahia, no 2º trimestre de 2019, ficou em 17,3%, menor que a verificada no 1º trimestre (18,3%), mas acima da registrada no 2º trimestre de 2018 (16,5%), segundo Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios Contínua (PNAD Contínua) divulgada nesta quinta-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Esta foi a maior taxa do país, superando a do Amapá, que passou a ter a segunda maior (16,9%). No total do Brasil, a taxa de desocupação foi de 12,0% no 2º trimestre.

Em Salvador teve taxa de desocupação de 17,7% no 2º trimestre de 2019, acima tanto dos 15,8% verificados no 1º trimestre quanto do 2º trimestre do ano passado (17,2%). Foi a maior taxa de desocupação para a capital baiana desde o início da série histórica da PNAD Contínua, em 2012.

Com esse resultado, Salvador passou, no 2º trimestre, a dividir a liderança na taxa de desocupação, entre as capitais, com Manaus/AM (17,7%) e Macapá/AP (17,7%). No 1º trimestre, Salvador havia ficado com a 6º maior taxa entre as capitais. Já na Região Metropolitana, a taxa de desocupação ficou em 18,6% no 2º trimestre, praticamente a mesma do 1º trimestre (18,7%), mas abaixo da verificada no 2º trimestre de 2018 (20,3%).

Apesar deste levantamento, a Região subiu no ranking de desocupação, passando a ter a segunda maior taxa, abaixo apenas de São Luís, Maranhão (19,5%). No 1º trimestre, a região metropolitana de Salvador havia ficado com a 3ª maior taxa de desocupação entre as regiões metropolitanas do país.