Na manhã desta segunda-feira, 30, o Gabinete de Crise reuniu-se, mais uma vez, com representantes da CDL, Sindicato Rural e OAB. Vitor Gama, Coordenador da Vigilância Epidemiológica, também esteve presente para explicar tecnicamente a situação do município e embasar tomadas de decisão.

Vitor deixou claro que o município tem se empenhado para a contenção da pandemia, mas tem tido dificuldades de atuação e, principalmente, para traçar um panorama mais certeiro por falta de apoio mínimo dos governos do estado e federal.

“Até agora, o governo só nos enviou 6 kits testes. Coletamos o material do primeiro suspeito há 9 dias e ainda não tivemos resultado. Os outros cinco só fizeram o exame na última sexta-feira, 27. Já somamos, até a manhã desta segunda, 8 suspeitos. Dois deles não tiveram, sequer, o material coletado por falta dos kits que deveriam ter sido enviados pelo Lacen – Laboratório Central”, explicou o secretário de Saúde, Hugo Sousa, ao endossar a preocupação exposta por Vitor.

O coordenador falou ainda sobre a curva de crescimento da doença. A estatística é a de que cada paciente contaminado possa transmitir a doença para ao menos mais três pessoas. Isso significa que, se todos os nossos suspeitos tiverem resultado positivo, nós teremos, sem serem monitoradas, mais 24 pessoas circulando pela cidade com a doença.

Pensando na contenção da contaminação, o prefeito Rodrigo Hagge decidiu, então por manter o comércio fechado até o próximo dia 05, como estipulado no último decreto. Um novo documento será elaborado para regulamentar novos prazos e regras para o funcionamento de empresas e para formatar novas ações preventivas capazes de deixar Itapetinga o mais protegida possível.