Avião da Malaysia Airlines com 239 ocupantes desaparece107 fotos

22.mar.2014 – Equipes realizam buscas pelo avião desaparecido da Malaysia Airlines, neste sábado (22), no oceano Índico, perto da Austrália. Autoridades australianas afirmam que há expectativa de boas condições de visibilidade. ‘O clima de hoje vai ser propício para os voos no oceano, os ventos serão leves e as condições de visibilidade melhorarão’, disse o porta-voz do Departamento de Meteorologia Leia mais Rob Griffith/AP

As esperanças de descobrir o paradeiro do avião da Malaysia Airlines desaparecido em 8 de março com 239 ocupantes aumentavam neste domingo, após a localização de um palete de madeira e vários cintos de segurança ou correias no Oceano Índico.

Novos dados de um satélite francês, que detectou restos de objetos flutuantes na principal área de busca, segundo a Malásia, reforçam a impressão de que a investigação avança.

Autoridades australianas anunciaram hoje que um dos aviões envolvidos nos trabalhos de busca ao Boeing 777 da Malaysia Airlines localizou um palete e vários cintos ou correias no Índico.

“Ainda é cedo para serem conclusivos, mas temos agora várias pistas confiáveis, e existe uma esperança crescente de descobrir o que aconteceu com este avião infeliz”, disse o premier australiano, Tony Abbot.

Satélites australianos e chineses registraram grandes objetos flutuando no sul do Índico, e o ministro dos Transportes da Malásia afirmou que a França obteve dados semelhantes “nas proximidades do corredor meridional”.

A Autoridade Australiana de Segurança Marítima (Amsa) confirmou que um dos aviões civis que participam das buscas localizou os objetos, a primeira visualização desde o começo da procura pela aeronave desaparecida.

O coordenador das operações aéreas da Amsa, Mike Barton, explicou que os paletes são usados para embalar mercadorias nos aviões, motivo pelo qual a descoberta pode ser uma pista. “Até que possamos observar os objetos melhor, não podemos dizer se eles estão relacionados”, assinalou.


Conheça alguns passageiros e tripulantes do avião da Malaysia Airlines17 fotos

Selamat Omar mostra fotografias de seu filho, Mohd Khairul Amri Selamat, um engenheiro de aviação que estava a bordo do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido desde o dia 8 de março. A presença do engenheiro no avião está sendo investigada devido à suspeita de que um dos sistemas de localização da aeronave tenha sido desligado Leia mais Ahmad Yusni/Efe

Mais barcos e aviões

Quatro aviões militares e quatro aparelhos civis enviados à região para tentar localizar novamente os objetos não observaram nada de significativo.

Segundo a imprensa local, a China enviou sete barcos, que se somam aos que já operam no lugar.

O navio da Marinha australiana HMAS Success chegou na tarde de ontem à área de buscas, onde já operam dois navios mercantes.

Um avião P3 Orion da Força Aérea Real da Nova Zelândia dotado de equipamentos de observação eletro-óptica também chegou à região, mas detectou apenas bancos de algas.

Dois terços dos 227 passageiros eram chineses, e a irritação cresce entre seus familiares pela forma como as autoridades malaias têm conduzido a crise.

O voo MH370 da Malaysia Airlines desapareceu dos radares civis em 8 de março, quando fazia o trajeto entre Kuala Lumpur e Pequim. Duas semanas mais tarde, os investigadores malaios estavam convencidos de que o avião havia sido desviado deliberadamente.

Foram levantadas três hipóteses para explicar o desaparecimento: sequestro, sabotagem feita pelos pilotos, ou uma crise repentina, que incapacitou a tripulação e levou o avião a voar com o piloto automático por horas, até o fim do combustível e a queda no mar.

A descoberta de restos no sul do Índico pode sustentar a teoria de sequestro, na qual acredita a maioria dos familiares.